Quem traz os presentes de Natal? O Papai Noel, o Nicolau ou o Menino Cristo? (Der Weihnachtsmann, der Nikolaus oder das Christkind – Wer bringt die Geschenke zu Weihnachten?)

Kommentare 4 Standard

Por: M. Fábia P. V. Willems

 

Quem traz os presentes de Natal?

Aquele velhinho simpático do Pólo Norte que vem de trenó do céu. Certo? Bem, há quem diga que não e afirma que podem ser outras duas pessoas. Veja só quem são elas e tire suas próprias conclusões, aproveitando a oportunidade para aprender algumas palavras natalinas em alemão.

As crianças brasileiras acreditam no Papai Noel e que ele os observa o ano inteiro. Se forem bonzinhos receberão os desejados presentes na noite do dia 24 de dezembro.

Os pequenos portugueses também acreditam no bom velhinho que chamam de Pai Noel.
Já os alemãezinhos, dividem opiniões. Para eles há três possibilidades:

  • o Papai Noel, chamado pelos portugueses de Pai Noel ou Pai Natal (der Weihnachtsmann),
  • o Nicolau (der Nikolaus) eou m
  • Menino Jesus, também chamado de o „Menino Cristo“, em tradução livre (das Christkind).

Mas como pode isso? Entenda agora a origem desta tradição.

Vamos começar a entender quem traz os presentes para a criançada desde os tempos antigos.

 

 

O Nicolaus (der Nicolaus)

No século III, nascia o menino Nicolau na atual Turquia. Sua família era muito rica.

Quando seus pais faleceram, ele herdou a grande fortuna e resolveu dividi-la com os necessitados. Presenteava crianças pobres e ajudava moças com dotes para que pudessem se casar, fugindo assim da miséria e da prostituição. Há quem afirme que ele chegou a doar três bolas de ouro a três irmã!

Quem precisasse de ajuda, podia contar com essa boa alma. Acabou tornou-se, no século IV, o Bispo de Mira e ajudando ainda mais pessoas em desespero. Dizem que fazia até milagres.

No dia 6 de dezembro de 345, o bom Nicolau faleceu e, tempos depois, foi canonizado, tornando-se o Santo Nicolau (der Heilige Nikolaus), o padroeiro das crianças, viajantes e marinheiros (Schutzpatron der Kinder, Reisenden und Seeleute). Também tornou-se o santo padroeiro  é o da Rússia, Grécia e Noruega.

Aleksa Petrov: Russische Ikone, 1294

Ökumenisches Heiligenlexikon

 

Foi assim que ele ficou conhecido pelo mundo e o dia de sua morte escolhido para ser o dia de presentear as pessoas.

Só lembrando, neste tempo, as crianças recebiam só frutas e doces! Bem mais tarde, lá pelo século XIX é que surgiriam os presentes caros.

 

 

O Menino Cristo (das Christkind)

No século XVI, acontecia a Reforma Protestante na Alemanha. Martinho Lutero (em alemão, Martin Luther) era um monge que achava a igreja agia errado por permitir a compra do perdão de pecados, as chamadas indulgências.

Ele defendia os ensinamentos de Jesus Cristo, isto é, que a salvação não estaria à venda, já que o perdão dos pecados só poderia vir de Deus e isso só aconteceria quando houvesse um profundo arrependimento de quem o cometeu em vida. Dizia também que o ato de poder comprar o perdão para si ou para familiares mortos, que poderiam estar no inferno,  evitava atos de misericórdia para com os pobres.

Acabou escrevendo-as em 95 teses. Defendeu-as na Universidade de Wittenberg e pregando-as da porta da Igreja do Castelo de Wittenberg , sendo imprimidas e distribuída por todas as regiões.

Outros religiosos e pessoas comuns que com ele concordavam, resolveram segui-lo, fato que dividiria os cristãos europeus entre católicos e protestantes (isto é, evangélicos).

Lutero não via sentido presentear as crianças dia 6 de dezembro, uma tradição católica, por isso, mudou esta data e criou a figura do Menino Cristo (das Christkind, em alemão), inspirado no nascimento do Menino Jesus. Iniciou a entregar dos presentes (em alemão, die Bescherung) no dia 25 de dezembro por considerá-lo o Dia de Natal (der Weihnachtstag).

Mais tarde, algumas pessoas começaram misturar a imagem do Menino Jesus com a de um anjo, dando-lhe asas. Em seguida, transformaram a figura natalina uma menina com aparência de fada.

Veja só como a firma de brinquedos Playmobil ilustra a „Criança Cristo“ e o Santo Nicolaus:

http://media.playmobil.com/i/playmobil/4887_product_box_front

St. Nikolaus und Christkind – Produktnr.: 4887

 

Foi assim que a tradição se espalhou e até muitos católicos alemães começaram a dizer às crianças que é o Chritkind quem traz os presentes.

Ah… ideia de montar um Presépio também vem destes tempos.

 

 

O Papai Noel (der Weihnachtsmann)

Já o Papai Noel é uma invenção moderna e conhecido mundo afora, mas quem é ele realmente?

A figura de homem bom e presenteador popularizou-se e, no século XVII, ela apareceria até numa poesia de um alemão famoso chamado Hoffmann von Fallersleben, popularizando-se também no mundo literário.

No século XIX, o alemão Thomas Nast teria criado a figura de um Papai Noel para a revista norte-americana Harper´s Weekly 

Mais tarde, os americanos comercializaram o Natal e, por influencia de imigrantes holandeses, difundiram a entrega dos presentes já no dia 24, isto é, na Noite de Natal (Weihnachtsabend).

Depois da divulgação de muitos filmes e canções com histórias emocionantes, o mundo praticamente se americanizou.

Haddom Sandblon teve uma ideia genial de marketing em 1931 para a empresa Coca-Cola: colocar  „Santa Claus“, como eles chamam o Papai Noel, com uma roupa especial vermelha e branca.

Nikolaus von Coca-Cola-Zeichner Haddon Sundblom nach dem Vorbild von Cola-Verkäufer Lou Prentice, 1939

Santa Claus – Coca-Cola – Haddon Sundblom, Lou Prentice, 1939  The Coca-Cola Company

Ele estaria em Shopping-Centers, viria do céu em seu trenó com seus presentes e divulgaria, assim, também o principal produto da empresa. Até um caminhão vermelho todo iluminado circula hoje em dia por algumas capitais mundiais.

 

 

E você?

Quando comemora o Natal?

Em qual desses três você acredita ou acreditou um dia?

Bem, seja qual for sua resposta, não deixe de ler nossos outros artigos sobre o Natal 😉

Seja feliz e não deixe o verdadeiro sentido do Natal morrer!

Qual é ele mesmo?

 

 

DICA DE LEITURA

Curiosidades da Alemanha: Meias com sandálias no verão de quase 40 graus

Hinterlasse einen Kommentar Standard

INACREDITÁVEL❗️

🔥35°-39° na Alemanha, gente🔥E o povo usando sandálias com meias❗️

SOCORRO😱🇩🇪HILFE😱❗️

 

 

 

Meias com sandálias no verão. É isso mesmo. Na Alemanha é comum ver esta cena, inclusive com 35-40 graus!

Você olha, balança a cabeça e se pergunta: Que moda é essa? Por que fazem isso? Será que não dá ainda mais calor? Como aguentam o chulé?

O costume de usar meias quase sempre teria algo a ver com o desejo de não sujar o pé ou para proteger o pé do perigoso carrapato alemão (Zecke) que aparece nesta época e é transmissor de borreliose e meningite?

Parece que os fãs das meias querem tornar as horrendas meias em dica de moda moderna. Outro dia encontrei essa foto numa revista:

E aí? Gostou?

Vai virar adepta(o)?

Já viu gente usando meias com sandálias por aí?

Deixe o seu recadinho e mande suas fotos desta moda para nós!

Vai ser muito divertido 🙂

 

Dicas de Leitura

 

Veja mais informações sobre o tema „Barbeiro alemão“ abaixo:

Não deixe de ler também:

Encontrei na Alemanha 👀 Fotos de Curiosidades (ICH SEHE WAS, WAS DU NICHT SIEHST👀Kurioses aus Deutschland )

Kommentare 4 Standard

 Por: M. Fábia P. V. Willems

ENCONTREI NA ALEMANHA: Curiosidades de viagens em fotos 👀ICH SEHE WAS, WAS DU NICHT SIEHST👀 Kurioses aus Deutschland 📷Fotos von Fábia Willems 😍

Você é curiosa(o)? Gosta de fotografia? Quer ver coisas diferentes? Então vai gostar deste post.

Viajando pela Alemanha, encontrei coisas curiosas, engraçadas, esquisitas e até absurdas. Há umas coisas muito loucas também.  Das muitas fotos que tirei em viagens, divido agora algumas com você.

encontrei_dt_blog1

1. Passeando em Bad Obersdorf (sul da Alemanha) vi esta casa muito bonita e parei ao ver o que estava pendurado ao lado da janela. Pára tudo! Era a casa era de professor. Adivinha o que ele leciona?

prof_sonfona_curtir

Aula de sonfona é aqui.

2. Caminhando pelas ruas de Obersdorf, uma cidade conhecida pelos esportes de inverno, o que chamou minha atenção foi a tampa de um bueiro. Além de bonita, muito informativa. Uma nova possibilidade de se fazer propaganda. Por que não?

tampa_bueiro_curtir

Propaganda de Hotel-Restaurante na tampa de bueiro

 

3. Você tem um cachorrinho e vai fazer compras com ele. Antes de entrar na Drogaria DM de Bad Cannstatt (um bairro de Stuttgart), estacione seu cachorro direitinho Zwinkerndes Smiley  Veja só o charme da plaquinha com o P de „parken“ (estacionar).

dm_dogparking3

Estacionando seu cachorrinho

 

4. Escada rolante em Stuttgart (no sul da Alemanha) com „gehen“ (andar) e „stehen“ (parar) gravado nos degraus. A maioria das pessoas realmente respeita essa iniciativa. Será que daria certo no Brasil?

treppe_curtir

Escadas rolantes educativas

 

5. Esta foi uma viagem divertida. Eram tantas plaquinhas de vaca e viados pelas ruas que eu não conseguia parar de rir. Tinham ruas, nas quais havia plaquinhas de viados dos dois lados! E essas placas indicam aos motoristas o quê? Simplesmente:

„Cuidado! Animais podem cruzar a rua!“

Quer comprovar pessoalmente? É só passar pela região de  Bad Obersdorf e Sonthofen (sul da Alemanha).

placa_vaca_curtir

  Cuidado! Vacas a caminho!

placa_viado_curtir

Cuidado! Viados podem cruzar seu caminho!

6. Foi num domingo. Queríamos passear no parque para aproveitar um sol maravilhoso. No Max-Eith-See (Lago em Stuttgart), barquinhos alugados por todos os lados. Mas alguma coisa estava errada. Observe as fotos:

remadoras1_curtir

remadoras2curtir

O preço da emacipação

 

Realmente não se fazem mais homens como antigamente. Ainda bem que o meu barquinho é elétrico!

 

7. Num passeio pela cidade de Stuttgart, segui pela rua paralela à Königstrasse, pertinho da estação Rotebühlplatz (Stadtmitte) e deu aquela contade de tomar um cafezinho:

großertasse_curtir

 Vai um “cafezinho” aí também?

 

8. Os alemães adoram animais. Você também? Por aqui tem até seguro de saúde para cachorros. Já fez um para o seu cãozinho?

hundeversirerung_allianz

Propaganda de Seguro de Saúde para cachorros – Foto: Folheto da Seguradora alemã Allianz

 

9. Já ouviu falar de Happy Hour? Eu também. Mas deste tipo aí, nunca. Será que eu fiquei maluca?

apotheke3curtir

Happy hour na Farmácia

 

Happy hour na Farmácia é o seguinte: Preços especiais das 15 às 20 horas todas as sextas-feiras.

 

10. Você gosta de nomes curiosos? Esse nome alemão é demais:

sommerrock

Senhor „Saia de Verão“! Ou será Senhora?

Sim, é isso mesmo. Nesta casa  num bairro de Stuttgart moram 4 Famílias: 1. Simpson,  2. Saia de Verão,  3. Irmãozinho e 4. Escritório

Pelo menos, o nome da última família foi uma brincadeira Büro (escritório). Acho Zwinkerndes Smiley

 

11. Você já ouviu falar de Kehrwoche? Kehrwoche é sinônimo de limpeza obrigatória. O fenômeno da Kehrwoche é invenção dos suábios. Eles vivem no estado de Baden-Württemberg e são meus companheiros há anos. Prefiro viver perto de um povo que adora a limpeza do que ao lado de gente porca.

A Kehrwoche  funciona assim:

Toda semana um morador é responsável pela limpeza do andar onde mora. Quando se mora num tipo de condomínio onde há poucas famílias, também é necessário também varrer as escadas, o pátio, o jardim, a lavanderia e a calçada da rua em frente sua casa. Além disso, tem-se que passar um pano molhado nas partes interiores da área comunitária. Essa tradição antiga está mudando nas construções mais modernas. Nelas, os moradores se reuniem e pagam uma empresa de limpeza para fezer o serviço. Como na Alemanha tudo custa os olhos da cara, muitas famílias preferem economizar esse dinheirinho, embora haja, de vez em quando, brigas de vizinhos porque um não limpou no seu dia.

Ah, quase esqueci. A limpeza é só uma parte das responsabilidades. São  7 dias de plantão no inverno. Como assim? No dias de neve, tem-se também que tirar a neve, raspar o gelo e jogar um tipo de sal com pedrinhas que derrete a neve  e evita que o gelo grude na calçada. Isso lá pelas 5, 6, 7 da manhã. Se não fizer e  alguém escorregar e se machucar, é você quem vai pagar todos os custos com médicos, remédios e futuros tratamentos. Resumindo: Você está ferrada(o)!

Para ninguém esquecer quando é sua vez de fazer a limpeza, costuma-se pendurar uma plaquinha na porta. Onde eu moro a plaquinha é esta:

kehrwoche_curtir

Plaquinha penturada: Faxina total

Essa história de Kehrwoche é uma coisa muita curiosa mesmo. Há um outro artigo aqui no blog só sobre esse tema e tem até uma parte musical. Não deixe de lê-lo! Clique em A Cultura da “Kehrwoche” em Baden-Württemberg

 

12. Como a população atualmente vive mais, as lojas precisam se adequar a isso. A falta uma boa visão é uma das primeiras coisas que se transformam em um problema na hora de fazer as compras. Olha aí a criativa solução: Lupa acoplada no carrinho de compras de todos. Zwinkerndes Smiley Muito legal!

dm_wagen_lupa

Carrinho de compras com lupa acoplada: Uma ajuda importante para idosos

 

 

13. Não importa se a temperatura é de 30 graus. Elas estão sempre presentes: as meias nos pés dos alemães, principalmente as brancas. Será que não dão chulé? Zwinkerndes Smiley

meiasdeverao_curtir

Elegância é outra coisa

 

14. Ele fez o maior sucesso: o robo gigante da Galeria Kaufhof de Stuttgart. Seus principais fãs neste sábado : chineses, japoneses e brasileiros. Era flasch pra todo ladoZwinkerndes Smiley

robo_panelas_curtir

Robozinho mais simpático – Galeria Kaufhof da Königstrasse, em Stuttgart.

 

15. Marido e mulher descansando nos alpes alemães de Allgäu. Que amor! Zwinkerndes Smiley

amordeboi_curtir

Soneca carinhosa do casal de Allgäu: amor animal existe mesmo!

 

E você? Já começou a colecionar suas curiosidades de viagens?

Que tal dividi-las com seus amigos virtuais também? Mande uma foto com alguma curiosidade pra gente!

Quem viaja tem sempre algo para contar e mostrar!

Quem lê também 😉

fab_big_deal_lcultura2015a1

Encontrei na Alemanha: Gente usando meias no verão

Kommentar 1 Standard

Por: M. Fábia P. V. Willems

daf_meiasnoveraoDeutsche lieben Socken! Auch bei 30 Grad!

Gente usando meias com esse calor infernal de 30 graus? Não acredito!

Meu primeiro verão alemão foi marcado por muitos WOWS e UAUS, principalmente ao me deparar com a primeira pessoa usando meias brancas com sandálias.

Era um calor seco e abafadíssimo. Insuportável até para brasileiros. Minha vontade era ficar debaixo do chuveiro o dia inteiro. Mas, temos nossas obrigações, não é?

No meu primeiro encontro com as meias brancas em meio o calor infernal europeu foi chocante e continuou assim, quando circulava pela cidade. Eram meias das mais variadas cores e modelos para lá e para cá.

Será que não davam chulé no pé? Nada melhor do que aquele ventinho que vem debaixo quando seu corpo está quase a derreter. Certo?

Não, não. Na Alemanha não. Gente de todas as idades protegendo seus pezinhos do…

Do quê mesmo?

Ah, do ao livre e puro de um dia de verão.

Nem sempre a cor das meias, que cruzavam meu caminho, combinavam com os trajes e, algumas delas, até se destacavam na multidão.

E assim, lá andava eu, suando como uma condenada, de olhos arregalados.

De repente os vejo: os chinelos, chinelinhos e chinelões dando àquele realce aos passantes bem vestidos no centro da cidade – E tem gente que não sai assim nem para visitar o vizinho ao lado no Brasil!

Os alemães são realmente pessoas que não se importam tanto com as aparências, o importante é se sentir bem, o que me faz refletir o quando nós, brasileiros, somos esmóbes, cheios de não-me-toques.

Vi senhoras de diamantes e anéis de ouro com predras preciosas nos dedos, usando o transporte público e sem frequentar a manicure toas as semanas. Percebia-se isso pelas cutículas nas unhas de gente de mãos bem tratadas, mas sem esmalte. Via-se pelas discretas rachaduras nos pezinhos daquelas que se atraviam a sair de casa sem as meias de verão ou até de inverno.

Uma coisa me encafifava: por qual motivo, pelo amor de Deus, usar meias verão?

Seguir a moda de ancestrais? Esconder o pé? Proteger o pé da sujeira? Economizar água? Ou será que os alemães têm medo do Bicho-de-Pé?

Seja o que for, tenho certeza que esta história de meias em pelno verão deve dar o maior chulé.

weiterlesen